domingo, 10 de agosto de 2014

...

Gostava de dizer que temos uma ligação especial. Daquelas típicas ligações mãe-filho, de que toda a gente fala, que toda a gente mostra.
Gostava de partilhar fotos de momentos especiais, beijinhos e abraços voluntários e carinhosos, mas isso não acontece.
Gostava de dizer que todos os dias ao acordar me dás um beijo junto com o "olá" entusiasmado de sempre. Mas isso é só com o teu pai.
Gostava que as pessoas não me olhassem como se fosse um bicho de 7 cabeças quando digo que tens mais proximidade com o teu pai, que o preferes para tudo, seja para tomar banho ou trocar a fralda.
Gostava de te poder dar um abraço ou um beijo sem que me desses uma estalada e gritasses "não".
Gostava que não me evitasses, não tivesses "medo" de mim.
Gostava que todos deixassem de me falar no laço maternal que têm com os filhos, como eles/elas vos preferem para tudo, como vos chamam e só vos querem quando precisam de carinho, de mimo. De como, do nada, vos abraçam e beijam, vos chamam "mamã" e vos mostram amor. Quero que parem, que não me perguntem o porquê de o meu filho não ser nada disto comigo. Que parem de dizer "que estranho...".

Gostava que a maternidade fosse tudo o que eu esperava, tudo o que dizem, toda uma ligação e uma união implacável entre mãe-filho que todas as mães mostram ter, que eu vejo todas as mães terem. Gostava que chamasses "mamã" quando precisas de carinho, em vez de me evitares, empurrares, chorares se te toco apenas com um dedo. Gostava de não me sentir culpada por pensar que secalhar nunca ía estar preparada para isto, uma realidade tão diferente de todas as outras realidades que vejo.
Gostava de ser especial para ti. Gostava.... mas não o é.

2 comentários:

Pobre(o)Tanas disse...

Não te vou dizer que a Eva me evite ou o que seja mas não é tb um bebé doce-meloso como vejo outros. Só agora dá beijos mas temos de pedir e 90% das vezes qd lho pedimos ela dá a cara para sermos nós a dar. São fases, dizem-nos... Digo-te o mesmo. Esperar para ver. Mais uns tempos e vai andar agarrado ao teu pescoço, mais que não seja para te pedir brinquedos ou dinheiro para ir sair :P Compreendo o teu desanimo, a tua mágoa pois foste tu que o pariste mas olha qd a minha prefere o pai ganho tempo para mim! ;) Força!

Ana Sofia Cruz disse...

Amei o seu blog.

Força e continue assim.
Estou seguindo
Bjs
http://you-should-neversaynever.blogspot.pt/