segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Anda tudo doido e assusta-me

Assusta-me ouvir as notícias. Assusta-me pensar que isto só vai piorar ainda mais.

Uns passam-se e desatam a matar pessoas.

Uns matam-se a eles próprios.

Uns roubam tudo quanto podem, até supermercados.

Cada vez há mais desastres naturais, tempestades, terramotos, etc.

Cada vez há mais seca, mais fome, mais sede.

Cada vez há mais pessoas a entregar casas, a pedir para comer, a viver nas ruas.

O Verão passou de Junho, Julho, Agosto para Maio, Junho, Julho, Agosto, Setembro e á 2 anos até em Outubro se ía á praia.

O Inverno já não é igual, não é tão frio, não chove tanto.

Os animais estão a desaparecer, a entrar em extinção ou a ficar ameaçados. Lembro-me de ser pequena e "caçar" lagartixas na brincadeira, minhocas, gafanhotos, lembro-me de na Primavera ficar horas a olhar para as milhares de andorinhas que apareciam nessa altura. Lembro-me do meu pai ir á caça e trazer muitos coelhos, lebre, tordos, etc. Agora, é raro ver esses bicharocos que outrora me animaram as brincadeiras, e o meu pai nem se dá ao trabalho de ir á caça porque vem sempre de mãos a abanar.

O preço da gasolina aqui á uns 3 ou 4 anos era mínimo, hoje está a quase 2€/litro.

O preço da comida disparou, e cada vez fica pior.

Os subsídios, férias, etc é dizer adeus, até á vista.

As horas extraordinárias estão mais baratas.

Querem baixar o ordenado mínimo.

Cada vez é mais fácil despedir.

Não há trabalho, e o que há, é mal pago.

Os jovens, a nossa geração, têm de emigrar para ter trabalho (como eu), porque no país do nosso coração não há nem para os licenciados.

O Euro está cada vez mais desvalorizado em relação ao dólar.


E haverá ainda mais mil coisas que não me lembro agora. Mas isto tudo me assusta. Sou nova e já é tudo tão diferente de quando era pequena, que tremo só de pensar como será daqui a mais uns anos.
O R. pede-me filhos. Mas eu penso no futuro que eles vão ter.. que nós vamos ter. E se o trabalho cá acaba? E se depois não conseguimos arranjar trabalho em Portugal? E depois como é que pagamos a casa? Como é que comemos? Como é que alimentamos o nosso filho?

Assusta-me. Muito.

5 comentários:

Sandra Tavares disse...

Se isto está mau agora, na altura dos nossos filhos penso que vai ficar pior. Temo pelo futuro da minha que tem 9 anos.
Boa semana.

Katy disse...

É verdade Sandra, as coisas estão a ficar de uma maneira que o pior se prevê. Quem sofre agora somos nós, mas mais tarde os nossos filhos vão sofrer o dobro :S

ádescávir disse...

Eu penso tantas vezes nisso..... =(

Pobre(o)Tanas disse...

Olha acho, sinceramente, que já vivi bem pior há uns 3/4 anos atrás! O dinheiro nunca me chegava para nada :(

Katy disse...

Pobre(o)Tanas, no meu caso não, agora é que as coisas estão a apertar.