terça-feira, 26 de março de 2013

Um dia cheio de fome

7:30h, toca o despertador. Lá tenho de ir para o hospital fazer as análises do 3º trimestre, em jejum. Aguentei bem até lá, cheguei eram 8:57h e tinha marcado para as 9h. Disse á segurança ao que vinha, ela manda-me ir falar com a assistente do médico que me dá aqueles autocolantes com o nosso nome e manda-me esperar. Como nunca tive de esperar, era logo ir lá pra baixo fazer a recolha, perguntei porquê ao que ela disse que hoje o médico entrava ao serviço depois das férias, e tinha de ser ele a pedir as análises pelo computador. Ok. Tudo bem.

Sala de espera cheia de grávidas e respetivos companheiros. Tudo para o mesmo: análises. E quase todas em jejum.
O médico chega ás 10h e tal e eu já deitava fumo pelas orelhas. Fui chamada ás 10:50h. Em jejum.
Falei-lhe da candidíase que tinha tido, e das dores fininhas na vagina. Disse-me que "você está no 3º trimestre, mesmo desempregada faz as tarefas em casa. Nós subestimamos muito essas tarefas, mas passar a ferro, lavar loiça, etc.. tudo isso faz ainda pior que um trabalho. Por isso deixe-se dessas coisas, que alguém fará por si (típico de quem anda num Porsche e tem empregadas domésticas). Agora é tempo de descansar, fazer umas sestas - e não lhe digo para dormir. Esteja apenas deitada durante alguma parte do dia. Tem de ter cuidado, já está no fim e não queremos que ele venha antes da hora. Depois se no dia 5 na nossa consulta continuar com as queixas, temos de ver disso.".

Portanto saí de lá com autorização pra ser o mais preguiçosa que conseguir, ainda mais do que sou! LOOL

Desço ao laboratório: já fechado. Vou ao balcão de recolha de urina e pergunto, ao que me dizem "tem de ir ao Patrocínio". WHAT?! Tenho de ir ao hospital do outro lado só para fazer as análises? Em jejum??? Bem, bóra lá...

Fui a primeira das grávidas todas a lá chegar. Fiz a recolha de urina e quando ía entregá-la no gabinete e fazer a recolha de sangue vi que já lá estavam quase todas as grávidas. Entro, a velha que faz as recolhas espreitou pela porta e diz, antipática e besta que só visto "o Vitor (doutôr) nunca mandou tanta remessa delas para aqui!". Eu respondi  que ele hoje se tinha atrasado, ao que ela grita "hoje??? HOJE???!". Ok, já percebi, tás de mau humor ou és mesmo estúpida, pronto. Não grites mulher!

Depois quando acabou de me tirar sangue diz para a mulher que estava á espera das recolhas: "olha nem vale a pena esperares por esta gente toda. Levas agora estas desta senhora (eu) e da Vanda (mulher que tava depois de mim) e depois vais-te embora, as outras que esperem!".

Vêm porque é que o serviço de saúde está como está? Por gentinha como esta, que sabe haver uma fila enorme de grávidas em jejum para fazer análises (3 delas estavam lá para fazer aquela da glicose, algumas 3h!) e o lema é "elas que esperem". Sim senhor, andamos a pagar-lhes o ordenado para sermos atentidas por bestas e ainda termos de ouvir destas. Muito bom. Eu tive sorte que fui a primeira, senão sei lá a que horas tinha ido comer.

Era meio dia quando finalmente pus alguma coisa no estômago. Tomás roçava-se em mim de alegria, "yyyuuuupiiiiii!!! A mamã tá a comer!!!". Coitadinho.

Ainda me molhei a ir para o estacionamento, portanto o dia de hoje foi mesmo giro. Espero que não se volte a repetir.

4 comentários:

Orquídea Branca disse...

bem...era uma bruta de uma seringa enfiada no cu dessas queridas senhoras -.-' burras pah!!!!

Katy disse...

Orquídea, podes crer! Não têm consideração por ninguém, nem mesmo por grávidas!

Pobre(o)Tanas disse...

Oh minha linda então vou-te contar que deves ir para lá, na hora do parto, muito zen! Vai ser o teu prato do dia! Mas antes de ires deixo-te isto: http://www.humpar.org/violencia-obstetrica.html

Lê bem, informa-te e não sejas parva, exige os teus direitos! Beijo!!!

Katy disse...

Pobre(o)Tanas, depois de ler o que me mandas-te vejo que a minha irmã foi lá vitima de violência obstétrica. Por causa dela não fazer a respiração como deve ser (não conseguia com as dores, ficava mal disposta e até vomitou) diziam-lhe coisas como "mas o que é que você andou a aprender nas aulas de preparação?" , "faça lá isso como deve ser" e coisas assim, mesmo á bestas.
Comigo tão lixadas, se eu já me passo no meu estado normal, com dores para parir ouvem das boas!

Gente parva! Devia haver cursos de humanidade para esta gente, assim aprendiam como agir e serem cuidadosos num momento tão importante para as mulheres.

Beijinho!! E obrigada pelo link :)